top of page
  • Dra Geórgia Fonseca

Seletividade alimentar: Como fazer meu filho comer? Prevenção e abordagem dos distúrbios alimentares


Estas são algumas dicas que costumo dar em minhas aulas. Implementar uma alimentação correta é um processo contínuo. Deve começar desde a introdução das papinhas. As crianças seletivas, e em especial as crianças com autismo, precisarão de um trabalho de muita persistência e carinho para que possam aceitar a introdução de novos alimentos.

Peço sempre às mamães, papais e vovós que nunca caiam na tentação de oferecer alimentos industrializados, refrigerantes e todos os artificiais aos pequeninos. Mesmo que vocês estejam fora de casa sempre haverá uma opção natural para alimentar os pequenos. A frase diz: " Com açúcar e com Afeto". Eu prefiro: Com Afeto Natural e Orgânico! Então vamos lá:

A) Alimentação inicial do bebê, estabelecendo a alimentação correta:

  • Oferecer diferentes alimentos, com gosto, textura, odor e temperatura diferentes.

  • Não oferecer grandes volumes de líquidos perto da hora das refeições.

  • Evitar misturar todos os alimentos no prato para que a criança aprenda a reconhecer diferentes cores e sabores.

  • Preparar a refeição principal como uma papa de diversos componentes: cereais e/ou tubérculos, leguminosas, carnes e hortaliças.

  • Acrescentar óleo vegetal (1 colher de sopa) no final da preparação da papa. Não utilizá-lo para refogar os temperos. O aquecimento muda a conformação bioquímica do óleo vegetal, tornando-o menos saudável.

  • Não é necessário acrescentar sal às papas.

  • Deixar o bebê estar no momento da refeição em família. Ofereça algo também nestes momentos

  • Nada de papinhas em frente à TV!

B) Alimentando a criança seletiva:

  • Problemas sensoriais podem restringir a aceitação de certas texturas.

  • Deficiências nutricionais (Zinco) podem fazer com que tudo tenha “gosto ruim”.

  • Uso de muitos alimentos com glúten e caseína ( opioides) podem fazer com que a criança só deseje este tipo de alimento.

  • Químicos e aditivos (Glutamato monossódico) também levam à “adição”por alimentos processados.

  • Fungos ( Cândida), infecções repetidas levam a criança à consumir muitos alimentos ricos em carbohidratos e açúcar.

  • Sempre inicie com um alimento que a criança goste junto com o alimento novo.

  • Envolva a criança na preparação do alimento.

  • Pequenas quantidades. Deixe a criança lhe mostrar quanto.

  • Informe a criança! Ela precisa saber se o sabor será doce ou salgado.

  • Tente e tente novamente! Pelo menos 15 vezes!

  • Deixe que ela brinque ou espalhe a comida!

  • Seja criativa! Tente o novo alimento com diferentes aspectos e texturas!

  • Evite estar emocionalmente envolvida – a criança sente a sua ansiedade.

  • Faça com que a hora da refeição seja calma. (Visualize a criança gostando da nova comida).

  • Evite forçar ou usar persuasão. Use só a verdade.

  • Escolha recompensas ou outro tipo de encorajamento positivo.

  • Faça com que toda a família participe. Que todos possam estar à mesa. ( Lembrem do artigo que postei sobre o momento das refeições em família ser terapêutico)

  • Torne as refeições um momento divertido!

bottom of page